terça-feira, 26 de abril de 2016

A ESQUERDA FASCISTA


Tente dialogar com algum partidário de esquerda. Se você for uma pessoa bem informada, que tenha educação e saiba argumentar com segurança e propriedade (ou não), muito provavelmente vai acabar sendo chamado de fascista.

Por tratar-se de um termo de cunho pejorativo, ofensivo a quem defende a democracia e o Estado de Direito, é que tem sido utilizado pelos integrantes da esquerda atual, independente do tom da conversa. Porém, o significado do fascismo, repetido tantas e tantas vezes por pessoas que nunca ouviram falar do seu idealizador Benito Mussolini, parece que vem sendo negligenciado - e propositalmente.

O método da esquerda comunista, de vanguarda, para introduzir mais seguidores continua sendo basicamente o de sempre - utilizar a boa intenção e o senso de justiça para passar uma mensagem deturpada sobre bem estar social. A paixão pela causa vermelha é influenciada num contexto muito bonito. Fala-se da “visão irrefutável” de Marx, de sua influência ao pseudo heroísmo de Lênin, Stalin, Mao Tse Tung, Che... de pessoas que deram suas vidas para que o pobre trabalhador conseguisse conquistar seu espaço mediante ao capitalismo opressor. Fala-se da concentração de renda nas mãos de pouco e da expropriação e distribuição da riqueza acumulada para todos os oprimidos. Afinal de contas, “A infraestrutura econômica está acima da superestrutura social” (Marx era um poeta)...

 Além do pretexto idealista citado acima, muitas estratégias são utilizadas para angariar os devotos pela causa (vide texto do amigo Renaldo). E na cartilha do Lênin, uma se destaca: “Acuse os adversários do que você faz, chame-os do que você é”. É nessa máxima que se sustenta o “xingamento de fascista”.

Percebe-se facilmente que a política da esquerda atual está muito próxima à dos anos 60, 70, até porque muitos dos personagens são os mesmos e estão ativos dentro do Planalto Central. Observando o contexto histórico, não é tão difícil fazer uma analogia dos dias de hoje à tentativa de tomada do poder durante os anos 60. O comunismo infiltrou-se com força nas raízes do poder e quase conseguiu conquistar hegemonia num processo legal, sabiamente interrompido pela sociedade e pelo Congresso Nacional que destituiu o governo caótico de João Goulart e os planos para se instaurar uma ditadura do proletariado. Para esquerda, a derrota foi chamada de “Golpe Militar”, e incitou a guerrilha terrorista, que fora destruída também. E desde as derrotas eles estão preparando o terreno para mais uma tentativa. A esquerda comunista segue sempre o mesmo raciocínio:destruir para conquistar. E se não fosse o processo do impeachment em curso, estaríamos mais uma vez "à sombra da vermelhidão". Mas agora, temos muitos esquerdopatas intolerantes seguindo a mesma cartilha. Os da moda são aqueles que não suportam ouvir o nome do Brilhante Ustra, mas enchem a boca para falar de Marighella.

Com a ressurreição da ideologia sessentista do comunismo, as formas de inverter a verdade voltaram a ocorrer. Agora, quem defende o Estado de Direito é fascista. Quem defende o conservadorismo, é fascista. Quem defende o liberalismo econômico é fascista. Tudo que combatemos neles é o que eles dizem que nós queremos. Assim, quando nos chamam de fascistas, além de uma retórica de fuga quando não há capacidade intelectual para uma discussão sadia, estão tentando mexer com a honra dos partidários da direita. 

A esquerda comunista é a verdadeira fascista. É nela que existe a devoção irracional a regimes totalitários. É nela que a falta de representatividade iguala a todos na pobreza. É no fascismo socialista que o sujeito fica limitado ao que é coletivo, e não ao individual. Pensar diferente é pecado. Ao mesmo tempo, ser solidário é uma regra, independente da vontade individual. É fascismo impor à força a divisão e mutualidade, porque desrespeita a vontade do ser humano. A psicologia social do homem é totalmente adversa a regimes comunistas. A prova disso é que nunca ocorreu êxito pleno no governo socialista. E nunca ocorrerá. Mas quando você contraria a vontade doutrinada de um “esquerdopata”, você é que é o fascista.

 A esquerda radical de hoje é fascista. Fascista e dissimulada. A liderança fascista de esquerda, mais uma vez, doutrina os jovens à subversão imputando-lhes desrespeitosamente (e sutilmente) responsabilidade para o alcance de seu plano de poder. O estímulo à luta de classes não resolve o problema dos trabalhadores. O ataque a classe média não tira ninguém da miséria. Dar assistencialismo sem a devida orientação e sem obedecer a requerimentos é investir no destrabalho. O que se observa é o mesmo quadro de décadas atrás: um pequeno grupo de “comunas tarimbados” distribuindo cultura ultrapassada, baseada na tentativa de se driblar a pobreza e os mais variados preconceitos e injustiças sociais, com o único propósito de se chegar ao poder. E o objetivo é de descartar a todos os que se dedicaram à causa, iludidos pela mentira da divisão igualitária (assim fala a história). A esquerda fascista e covarde precisa ser combatida com uma dose providencial de democracia.

segunda-feira, 25 de abril de 2016

Um versinho:

De volta as atividades com um versinho:



quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Brasileiros - Os Bobos da Corte

Não tem título que defina melhor o brasileiro. Bobos da corte. Somos a alegria dos reis desse país.

Dá desânimo ver como as coisas são, como somos impotentes e incapazes mediante essas atrocidades que fazem com nossa grana e nosso povo. Na verdade, EU me sinto impotente, porque NÓS que observamos e criticamos essa sacaneação tão explícita e não temos um apoio de peso, PAGAMOS JUNTOS as consequências da má gestão. NÓS pagamos o preço de permitir que ELES nos roubem, e desfrutem de seus luxos as custas do NOSSO futuro.

Escândalos de sobra, soluções de menos, aberrações políticas - mentiras. Na nossa cara.

Dilma cada vez mais livre da justiça e dando uma de santa na grande mídia. Eduardo Cunha a cada dia mais articulador, e apesar da força dos 3 poderes do PT, ainda de pé, e mesmo que o STF deixe ele 3 ou 4 milhões mais pobre bloqueando sua grana na Suíça, garanto que lá não é o seu único cofre . Todo mundo vendo um jogo cruel de luta pelo poder. Pedidos de impeachment são moedas de troca, e isso é claro como água. CPI da Petrobrás cada vez mais perto de acabar em pizza, livrando o rabo de parlamentares. Pedaladas fiscais sendo ignoradas e ao mesmo tempo pagas (CPMF) pelo povo. O governo PT admite que nos rouba, e ainda pede para que a gente compreenda. O "universo" lá fora evoluindo a cada dia mais e o que se noticia aqui dentro é que há um caos mundial! Orçamento pro ano que vêm com previsões cada dia mais catastróficas, outras razões pra tirarem mais do nosso sangue.

Apenas no parágrafo acima, no mínimo 3 notícias gravíssimas que afetam diretamente nossas vidas e a vida de nossos filhos. Prepare-se pra recessão. Não tem jeito.

Já que a maioria do povo procura guardar a revolta e ficar atrás da TV ou do computador... vamos continuar nessa.

Só fico muito puto porque EU vou pagar mais imposto ano que vem. MINHA conta de luz vai subir ano que vem. EU vou pagar CPMF. Eu vou ter que me privar de uma vida mais tranquila por conta dessa promessa de recessão.

EU vou ter que me foder todo e estou puto. Mas enquanto isso, mais ou menos uns 180 milhões de brasileiros ou mais vão se foder igual a mim, mas preferem comprar um pote de vaselina e relaxar enquanto o governo penetra-lhes intestino a dentro.

EU paro uma hora ou duas horas por dia pra entender o que se passa nessa bagunça que chamamos de Brasil, procuro escrever alguma coisa sobre o que interpreto desta sacanagem toda. Poucos leem.

É muito mais legal fazer fofoca no facebook, ou então ver videos de entretenimento, ou jogar, ou conversar coisas fúteis... ninguém se permite observar o mundo em volta. Estamos regredindo. Estão transformando isso aqui num feudo, num reinado, sei lá. Só sei que nessa "monarquia", NÓS SOMOS OS BOBOS DA CORTE.

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Brasileiros e suas "brasileirices"

Hoje presenciei uma cena que me fez refletir o pensamento do brasileiro. A falta de consciência de classe e de reconhecimento dos próprios direitos está profundamente arraigada na consciência do nosso povo. Aí um grupo fica a mercê de uma liderança, e o contato com o poder pode transformá-la em coisa boa ou ruim.
Estava eu na fila da Caixa Econômica pra fazer um depósito no feriado de hoje. A fila estava um pouco grande, e do lado de fora havia um grupo de trabalhadores. O banco está em greve, mas o gerente estava lá, e havia dito ao grupo que o salário deles não sairia hoje, que não tinha autorização para liberação do dinheiro. Falou e correu pra dentro da agência. Prestando atenção na conversa (feita em voz alta, por sinal), descobri que eram empregados de uma firma terceirizada das obras da COMPERJ, que aguardavam a quase 1 ano a liberação do dinheiro.
No grupo haviam mais de 10 homens, mas apenas 1 deles estava totalmente informado sobre os pagamentos. Ele brandava que o pagamento tinha sido autorizado no dia 18 de agosto, de acordo com o procurador "fulano de tal", do Ministério Público, e que na semana passada um outro grupo havia passado pelo mesmo problema em outra agência, e que a liberação do dinheiro só rolou porque fizeram pressão no gerente da Caixa. Que o sindicado estava sacaneando eles, e que por isso tinha que cobrar diretamente.
Inconformado, ele chamava os parceiros para entrar na agência e confrontar o gerente. Disse que não conseguiu falar com o tal procurador por conta do feriado, mas que tinha todas as informações, e disse que o banco segurava o dinheiro ao máximo pra empreiteira pra poder render mais juros a mesma. O cara realmente tentou mobilizar os companheiros para lutar por um direito deles, afinal de contas, trabalharam pra isso e esperavam muito tempo essa liberação.
Então ouvi o cara falando que entraria na agência para pressionar o gerente, mas que não iria sozinho. Aí ele chamou a galera, e só uns 3 ou quatro vieram de um grupo de mais de 10. Então ele disse que não iria meter o peito pra beneficiar quem não lutava junto. Certíssimo. Mas ainda assim, por conta da confusão, o gerente saiu e foi conversar, mas ele disse que a turma voltaria amanhã pra pegar o dinheiro, agora com a presença do tal procurador.
Agora vejam vocês, como é que o brasileiro é. Um grupo, uma classe, literalmente esculachada por uns facínoras exploradores, trabalhadores braçais. Um ano sem receber. E só um deles a par da situação do dinheiro que eles ralaram pacas pra receber. E quando esse único sujeito tenta peitar o ex patrão e pleitear sua grana, não tem apoio dos mal informados - e preguiçosos também. É mais fácil deixar um sujeito se expor, brigar e colher os louros do que entrar no campo de batalha.
Aqui o cara é educado pra ser esculachado e ficar quieto. E de repente aparece um homem que tenta meter uma bronca e tem apoio de poucos. Ficam sem representação e não fazem nada - só esperam. É nessa que os sindicatos deitam e rolam. É nessa que empreiteiras ligadas a esquemas de governo deitam e rolam. É nessa que o resto da população se fode, porque na hora de receber o provento, todo mundo quer, mas na hora de botar a cara pra conquistá-lo, o povo debanda e deixa um Cristo pra salvar a todos.
O brasileiro não quer saber de nada, não acredita na política e não se importa de tomar no rabo. Não quer se informar, não liga pra quem o representa. Só quer gozar no final, o que sobrar é lucro. Olhem pro Congresso Nacional - muito fácil perceber que ninguém sabe o que os caras fazem dentro do plenário e nem se importam. Os trabalhadores que estavam na Caixa Econômica, estavam lá pra receber, mas nem sabiam direito sobre o próprio dinheiro. E eles ralaram pra obter, porra! Aí esse cara que se informou mais e tentou liderar uma cobrança fica sem apoio. Mas se chega um filho da puta lá desta empresa oferecendo uma "bala juquinha" e mandando os caras voltarem pra esperar até o próximo mês, todo mundo mete o pé.
Acontece que o brasileiro é treinado pra ser assim. É interesse pra quem governa disciplinar os "cachorrinhos" dessa pátria a apanhar do dono e abaixar o rabo pra receber as sobras do almoço. Estupidez aqui é recompensada com conformismo. Não entendo isso, nunca vou entender.